Cátia Pinto Rodrigues

Porque temos cãibras musculares?

A cãibra consiste numa contracção involuntária da musculatura com dor, que ocorre nos chamados músculos estriados, que são os músculos relacionados ao movimento. No entanto, nem sempre o surgimento de cãibras tem a ver com a prática de actividade física. E estes espasmos musculares podem acontecer até durante o sono.

As principais causas de cãibras são:

– Falta de minerais como o cálcio, magnésio, potássio ou sódio;
– Desidratação;
– Fatores hormonais (exemplo do hipotiroidismo);
– Tratamentos  de diálise para tratar problemas renais;
– Má circulação nas pernas;
– Prática de exercício físico em dias muito quentes;
– Excesso de ácido lático;
– Fadiga muscular;
– Compressão nervosa dos nervos na espinal medula;
– Lesão na espinal medula ou radiculopatia no pescoço ou nas costas;
– Podem ainda ser um efeito secundário de medicamentos diuréticos e alguns fármacos utilizados no tratamento de asma, colesterol, osteoporose, hipertensão e doenças degenerativas como o Alzheimer e a doença de Parkinson.

Os músculos encurtam-se durante uma cãibra, pelo que devemos realizar o movimento oposto para atenuar a dor. Exemplo: é muito comum a cãibra nos gémeos (“barriga da perna”). Então, a musculatura fica endurecida e se a pessoa se tenta movimentar, a dor piora. Neste caso concreto é importante que alguém ou a própria pessoa coloque as mãos na planta do pé e o mova para cima, contribuindo para estender as fibras musculares dessa área, proporcionando assim o relaxamento gradual da musculatura e consequente diminuição da dor.

Há pessoas que têm tendência a ter mais cãibras do que outras, sendo que muitas vezes as causas das cãibras permanecem desconhecidas. Ou seja, mesmo que se façam análises e exames, os resultados não indicam nada de anormal.

Como podemos prevenir as cãibras musculares?

– Mantendo uma boa hidratação com ingestão de água e bebidas isotónicas ricas em electrólitos, com vista à reposição de minerais perdidos através da urina e da transpiração. A hidratação é a chave para evitar que as células musculares fiquem desidratadas, ajudando a contração e alongamento muscular;

– Fazendo um bom aquecimento antes da prática de exercício físico e realizando alongamentos depois do treino, para que estas contracções musculares não sejam tão constantes;

– Fazendo uma alimentação rica em alimentos com alto teor de vitaminas, potássio, magnésio e cálcio, como batata-doce, banana, rúcula, abacate, espinafres e leguminosas.

– Tendo um plano de exercício adequado, para que não haja sobrecarga física.

Curiosidade:

Nos últimos anos, tem-se estudado sobre o uso de componentes que possam estimular os canais de potencial recetor transiente (TRP). Estes canais ligam a boca ao sistema nervoso central e a hipótese é que, se eles forem ativados, causam um reflexo inibitório nos músculos, parando a cãibra.

As substâncias que estimulam o TRP são o wasabi, o óleo de mostarda, e o líquido avinagrado dos pickles. A água dos pickles contém ácido acético que pode estimular os recetores de TRP e, deste modo, aliviar as cãibras, sendo a resposta à estimulação nervosa praticamente instantânea, ao contrário do que se verifica com a toma de sódio, que demora alguns minutos a ser absorvido pelo organismo.

Outros artigos que talvez te interessem:



Segue-me nas redes sociais! 🙂
error1
Tweet 20
fb-share-icon20

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

error

Gostaste deste blog? Partilha com quem mais gostas :)

RSS
Follow by Email
Instagram
WhatsApp